[Traduções] CMON FEATURE FRIDAY: Rolar os ossos

CMON FEATURE FRIDAY: Rolar os ossos

Publicado originalmente em 30 de junho de 2017

Tradução de : Marcos Eduardo

Texto original disponível em: https://cmon.com/news/cmon-feature-friday-roll-the-bones

Quando pensamos em jogos de tabuleiro, pensamos nas pessoas com quem jogamos, nas histórias que surgem durante os jogos e nas peças físicas do jogo. Os jogos são compostos de muitos elementos diferentes: tabuleiros, cartas, peões, miniaturas e muito mais.

Para o CMON Feature Friday desta semana, decidimos examinar um dos componentes mais emblemáticos dos jogos de tabuleiro: o dado. Em todo o mundo, os dados são reconhecidos como símbolos de jogo. Na América do Norte (e no Brasil também!!!), estamos acostumados com o padrão de seis lados, mas existem muitos tamanhos, formas e usos em todo o mundo dos jogos. 

Os jogadores têm uma relação de amor e ódio com os dados. Eles podem representar uma das mais odiadas mecânicas de jogo: o rolar e mover (o tipo de jogo no qual você rola o dado e anda o número de casas indicado – sem nenhum tipo de desdobramento adicional). Mas mais do que isso, esse é o elemento do acaso que afasta alguns jogadores. Cada vez mais, tem havido um impulso em alguns círculos de design para remover elementos de acaso dos jogos, tornando-os completamente deterministas. No entanto, existem dados desde antes da história registrada, então as chances são de que eles estão aqui para ficar.

O mais antigo conjunto conhecido de dados foi encontrado como parte de um jogo similar ao Gamão na cidade de Burnt no Irã. Eles foram datados em torno de 2800-2500 a.C. Isso é um peça de um jogo vintage.

Os jogos de dados continuaram a ser populares ao longo da história. Eles apareceram no antigo Egito no jogo Senet, são registrados como sendo um passatempo favorito na Índia e são mencionados na Bíblia em várias passagens que fazem referência aos lançamentos para sorteios.

Apesar de ser uma atividade ilegal, muitos romanos gostavam de jogos de azar com dados. No Império Romano, havia dois tamanhos padrão para dados, os Tali eram maiores e tinham um, três, quatro e seis inscrições nos quatro lados. As Tesselas eram menores e representam mais de perto o dado de seis lados que conhecemos hoje.

Os dados são considerados responsáveis ​​pela invenção de outros elementos do jogo, como cartas de baralho e dominós. Esse desenvolvimento é considerado como tendo ocorrido durante a Dinastia Tang na China, um período em que muitos avanços tecnológicos estavam ocorrendo.

Na época vitoriana, os jogos de tabuleiro e de salão se tornaram bastante populares. Um dos mais famosos ainda existe hoje. O Jogo da VIDA foi originalmente chamado de The Checkered Game of Life. Foi desenvolvido por Milton Bradley e, devido aos seus modos virtuosos, não queria dados associados ao seu jogo. Na época, eles estavam muito associados a jogos de azar. Em vez disso, uma espeécie de pião foi usado para determinar o quanto um jogador se movia. Isso acabou sendo substituído pela roleta que temos hoje em O Jogo da VIDA.

Nos tempos antigos, os dados eram feitos de ossos de animais, o que explica a expressão “rolar os ossos”. Os dados de hoje são feitos de plástico injetado duro, mas você pode encontrar versões em metal, madeira e até mesmo dados de cristal, se estiver procurando por eles.

Os dados podem ter uma variedade de usos diferentes em um jogo, desde determinar o quanto seu peão pode se mover no tabuleiro até calcular a força de um ataque. O elemento aleatório de seus resultados busca imitar a aleatoriedade da vida cotidiana.

A invenção de role-playing-games (RPGs) criou um novo uso para dados e uma necessidade de dados de tamanhos diferentes. O desenvolvimento do sistema D20 pela Wizards of the Coast criou uma necessidade totalmente nova para dados de 20, 10, 8 e 4 lados.  De repente, os jogadores foram transportados para mundos de fantasia onde se tornariam diferentes personagens imersos em uma história. Cada um de seus personagens teria suas próprias características (também determinadas por jogadas de dados) que seriam testadas de várias formas diferentes no jogo. Digamos que você queira encantar a calça da graciosa garçonete ogro, você irá jogar os dados para fazer um teste de carisma. Quer escalar uma parede da torre? Teste sua agilidade. O destino da sua aventura seria determinado pela astúcia do grupo e pela sorte no teste.

Os jogos modernos encontraram muitas maneiras interessantes de utilizar os efeitos aleatórios dos dados. Dados com letras, como os de Boggle ou Razzle, geram diferentes combinações de palavras a cada vez que você joga. Dados com símbolos, como os do King of Tokyo, Banana Bandits ou Gekido: Bot Battles, podem ser usados ​​para determinar o resultado do conflito de uma forma mais interessante do que apenas ver quem tem o maior número.

Independente se você os ama ou os odeia, os dados têm sido um dos componentes mais duradouros dos jogos de tabuleiro. As chances são que eles estarão por aí enquanto jogarmos na mesa.

O que você pensa sobre os dados? Quais são seus jogos de dados favoritos? Diga-nos no Facebook e no Twitter usando a hashtag #CMONFeatureFriday.


 

#forjademundosminiaturas #forjademundos #cmon #CMONFeatureFriday #miniature #miniatura #miniatures #tabletop #tabletopgames #tabletopgame #boardgame #jogosdetabuleiros #jogosdetabuleirosmodernos #boardgamegeek #miniwargaming #imperialassault #ageofsigmar #warhammer #gw #gamesworkshop #ffg #fantasyflight #fantasyflightgames

Marcos Eduardo on FacebookMarcos Eduardo on InstagramMarcos Eduardo on TwitterMarcos Eduardo on WordpressMarcos Eduardo on Youtube
Marcos Eduardo
Jogador e narrador de RPG na tentativa de aprender a pintar miniaturas e criar cenários para seus jogos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *